Jorge Ramos

No final dos anos 90, Jorge foi estudar teatro em Londres onde criou sua base e reside até hoje. Suas criações foram adquirindo forma e personalidade próprias, resultando em momentos ambiciosos e energia contagiante. Conjugando o ensino na universidade de East London e uma impressionante atuação nas criações do Zecora Ura, seu grupo teatral, o artista constantemente empurra fronteiras e zonas de conforto, atraindo um público ávido por interações inovadoras.

Foi a partir de seu ímpeto da interação com a platéia que convidamos Jorge para desenvolver uma palestra-intervenção para o Atos de Fala, na expectativa de ver como essa interação poderia se constituir através do formato proposto. A investigação da relação com o público adicionado ao mote do festival Documentos e Intimidades, fez Jorge propos-nos junto a Persis-Jade Maravala e Joe Dunne, a Platéia como Documento, um arquivo vivo do acontecimento. Essa proposição artística parece abrir um novo campo no pensamento e na prática da arte de performance.

A apresentação de Platéia como Documento no Atos de Fala conta com a participação de Joseph Dunno, artista e pesquisador em Londres, onde coordena o Arquivo Online de Histórias do Teatro. Ele investiga o impacto de tecnologias digitais na pedagogia e suas implicações no estudo de performances passadas.
Translate »